“Macunaíma, embranquecimento e identidade” de Ygor Corrêa Leite Pena

Resumo do artigo: “O presente artigo pretende discutir as condições de nascimento da identidade política negra nas sociedades racistas da América Latina. A partir de uma hipótese de leitura de Macunaíma (o herói sem nenhum caráter) na qual haveria na obra de Mário de Andrade um processo de embranquecimento correspondente à viagem do herói para São Paulo, definimos e distinguimos os conceitos de idiossincrasia de governanças e idiossincrasia racial. Em seguida, apropriamo-nos e movimentamos os conceitos de “consciência e memória”, “sujeito/‘Eu’”, “ser negro” e “perspectivismo das narrativas e da História”, baseados nos escritos de Lélia Gonzalez, para questionarmos a identidade do movimento negro. E, por fim, propomos uma “identidade”/afinidade (identidade Macunaíma), para o movimento negro revolucionário contemporâneo, atenta aos processos e políticas de embranquecimento das colônias luso-espanholas.”

Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/tragica/article/view/35575/pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *